Idioma da unidade de descrição

 
 

Bem vindo

O Centro de Arquivo e Documentação (CAD) da Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses (CGTP-IN) tem como missão gerir toda a documentação produzida e recebida  por esta organização (sede), independentemente do seu suporte ou data. Continuar...

 
 

Visualizar registo de autoridade

Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF)

Tipo de entidade

Entidade colectiva

Formas autorizadas do nome

Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF)

Formas paralelas do nome

Formas autorizadas do nome de acordo com outras regras

Outras formas do nome

  • SJPF

Identificadores para pessoas colectivas

Datas de existência

1972-02-23 -

História

«A constituição do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol reporta-se a 23 de Fevereiro de 1972, em pleno regime fascista. A primeira comissão directiva era composta por Artur Jorge, Eusébio, António Simões, Fernando Peres, Rolando, Manuel Pedro Gomes e João Barnabé, entre outros.
No primeiro comunicado, exigia-se "justas condições (actuais e futuras) a todos os praticantes, quer através das claúsulas dos vários contratos, quer através da programação de previdência e assistência obrigatórias relativamente ao profissional que venha a necessitar das mesmas". De forma veemente, sublinhava-se que "não se poderá manter um regime, como por exemplo o relativo à Lei da Opção, em atropelo das leis de trabalho vigentes entre nós, e que não tem em consideração os mais elementares direitos humanos".
Na altura, eram considerados profissionais todos os que auferissem um salário superior a dois mil escudos. O valor das quotas situava-se entre os 35 e os 50 escudos mensais.
Jorge Sampaio, presidente da República, foi constituído como advogado do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol, em 1968, a convite de António Simões, com a missão de elaborar os estatutos do organismo representativo da classe e de discutir a formalização do sindicato com o Governo de então, liderado por Marcelo Caetano.
Conotado com a oposição ao regime marcelista, Jorge Sampaio cedeu o lugar ao também causídico Jorge Santos logo após a autorização do Governo para a constituição do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol.
Com as transformações na sociedade depois da Revolução dos Cravos, a estrutura sindical foi adquirindo afirmação, mas foi a partir do "Caso Saltillo" que o Sindicato ganhou uma outra pujança, acompanhando a viragem no futebol português.
Até aos dias de hoje, o Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol nunca parou de evoluir, implantando-se uma estrutura profissionalizada a partir do consulado de José Couceiro. A estrutura sindical ganhou peso institucional, assumindo-se como interlocutor junto das entidades desportivas, do Estado e dos restantes agentes do futebol português.
Actualmente, Joaquim Evangelista desempenha o cargo de presidente da Direcção, sucedendo a António Carraça, José Couceiro, José Eduardo, Vasco Gervásio, Agostinho Oliveira e Artur Jorge.»

Lugares

Estatuto legal

Funções, ocupações e actividades

Mandatos/fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

Contexto geral

Identificador do registo de autoridade

Identificador da instituição

PT-CGTPIN

Regras e/ou convenções

Estado da descrição

Revista

Nível de detalhe

Mínimo

Datas de criação, revisão e eliminação

Criado em 2011-02-24.
Revisto em 2011-07-15.

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes

Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol - Sobre o sindicato [Em linha]. [Consult. 24 Fev. 2011]. Disponível em: http://sjpf.sapo.pt/default.aspx?ctrl=conteudosdetalhe&id=33.

Notas de manutenção

Criado e revisto por: Filipe Caldeira.
 
  POPH QREN União Europeia FSE