Idioma da unidade de descrição

 
 

Bem vindo

O Centro de Arquivo e Documentação (CAD) da Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses (CGTP-IN) tem como missão gerir toda a documentação produzida e recebida  por esta organização (sede), independentemente do seu suporte ou data. Continuar...

 
 

Visualizar registo de autoridade

Manuel Maria Candeias

Tipo de entidade

Pessoa

Formas autorizadas do nome

Manuel Maria Candeias

Formas paralelas do nome

Formas autorizadas do nome de acordo com outras regras

Outras formas do nome

Identificadores para pessoas colectivas

Datas de existência

1943 -

História

Nasceu em 1943, no concelho de Odemira e veio para Grândola apenas com poucos meses de idade, onde, depois de concluir a escolaridade obrigatória, foi inserido no mercado de trabalho como operário em várias actividades.
Sendo os seus passatempos as acções culturais e desportivas da Vila onde foi filarmónico na SMFOG "Música Velha", paralelamente e a seguir à campanha Presidencial do general Humberto Delgado começou a desenvolver actividades políticas clandestinas até ao ingresso na Força Aérea (1960), onde cumpriu o serviço Militar como Tripulante dos transportes Aéreos Militares ate 1967 ano em que passou à disponibilidade.
Em 1968, ingressa na TAP e depois da participação como activista na criação da CDE e MDP e com a morte do ditador Salazar,interessa-se pela actividade sindical. Em 1969, faz parte do grupo de activistas para o derrube dos sindicatos corporativos. Eleito para a direcção dos Metalúrgicos de Lisboa, que veio a ser destituída pelo governo de Marcelo Caetano, depois de, com outros dirigentes sindicais eleitos pelos trabalhadores, terem decidido criar a Inter-sindical em 1970.
Participou em vários congressos e eventos sindicais no país e no estrangeiro, continuando a actividade clandestina na Inter e do Partido.
Foi preso pela PIDE, barbaramente espancado e submetido a várias torturas, incluindo a estátua e o sono privado de dormir vários dias e noites seguidos, condenado e despedido da TAP em 1973. Depois de libertado, faz novamente parte do grupo de activistas para novas eleições no seu sindicato, o que veio a concretizar-se em 1975, resultado do 25 Abril 74 e do decreto de amnistia aos presos políticos.
É reintegrado na TAP e eleito para a direcção do Sindicato dos Metalúrgicos de Lisboa.
Em 1976, foi representante dos trabalhadores portugueses à I Conferência Mundial do Emprego em Géneve, "Suissa",no âmbito das Nações Unidas.
No mesmo ano, foi delegado à 63.ª conferência anual do trabalho(OIT).
Fez parte da comissão dinamizadora da Inter para o Congresso de todos os sindicatos.
Foi Presidente do Sindicato do Metalúrgicos vários mandatos e um dos principais organizadores do Congresso da Federação dos Metalúrgicos, que veio a dar origem à Federação dos Metalúrgico e Minas de Portugal. Vindo a ser eleito para a sua comissão executiva e responsável pelas relações internacionais.
Compôs várias delegações ao estrangeiro para aproximação das relações e troca de experiências com trabalhadores doutros países.
Foi membro da comissão fundadora do "SITAVA" - Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos, hoje o maior do sector. É seu sócio n.º1 , fez parte das primeiras direcções e dinamizador do seu Centro de Férias.
Em 1980, foi condecorado, pela Presidência da República, pela sua actividade e os bons e relevantes serviços prestados ao povo e ao país.
Foi Vice Presidente da associação Amizade Portugal Angola.
Foi candidato à Assembleia Municipal Lisboa nas listas da FEPU.
Foi eleito, pelos Trabalhadores da TAP, para sucessivos mandatos na comissão de trabalhadores, tendo sido seu coordenador até à data da sua aposentação. Foi candidato à Assembleia da Portela, onde ultimamente tem habitação.
Foi eleito na Assembleia Municipal de Grândola.
É membro da "CAMG" (Comissão Arbitral Municipal de Grândola).
É Membro do Partido Comunista Português desde 1959, tendo feito parte de vários organismos do Partido incluindo organismo direcção dos transportes, onde actualmente está organizado.

Lugares

Estatuto legal

Funções, ocupações e actividades

Mandatos/fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

Contexto geral

Identificador do registo de autoridade

Identificador da instituição

Regras e/ou convenções

Estado da descrição

Revista

Nível de detalhe

Parcial

Datas de criação, revisão e eliminação

Criado em 2010-12-03.
Revisto em 2011-07-11.

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes

Biografia redigida e concedida pelo entrevistado.

Notas de manutenção

Criado por: Sílvia Correia.
Revisto por: Filipe Caldeira.
 
  POPH QREN União Europeia FSE